Cartilha da Lei Maria da Penha será trabalhada nas escolas

Foi lançada em Palmeira das Missões a Cartilha da Lei Maria da Penha. A atividade ocorreu na Câmara de Vereadores, na presença de autoridades, representantes da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, da 20ª Coordenadoria de Educação, Secretarias Municipais de Educação e de Assistência Social, além de professores, alunos, e demais profissionais. A cartilha foi apresentada ao público pela presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Salete Roszkoswki, que juntamente com o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher organizou o evento.

A cartilha, que deve ser utilizada pelas escolas, leva o debate da violência contra a mulher para o ambiente escolar, além de ajudar a formar cidadãos que respeitem as diferenças de gênero, raça, etnia, orientações sexuais e deficiências. O material é uma revista em quadrinhos, que aborda de forma simples e lúdica a Lei Maria da Penha com os alunos, com o objetivo de reduzir os altos índices de violência contra as mulheres.

A criação do gibi foi da professora Silvana Conti, e a história fala sobre um grupo de alunos com várias inquietações sobre as agressões contra as mulheres. A professora sugere então um estudo da Lei Maria da Penha e ao respeito aos direitos humanos. Os alunos iniciam uma pesquisa sobre todos os tipos de violência, trazendo fatos vivenciados por eles na família ou com conhecidos próximos. A pesquisa avança e o projeto é repassado em toda a escola. Ao final, a própria Maria da Penha vai até a escola para contar aos alunos a sua história. A cartilha conta ainda com um glossário, explicando palavras como feminicídio, gênero, misoginia, patriarcado, sororidade, entre outras.
Fotos: Priscila Devens/AI