Corpos dos brasileiros da tragédia na Colômbia serão repatriados nesta sexta

Às 16h desta sexta-feira (19h no horário de Brasília), os brasileiros vítimas da tragédia de Medellín começarão a voltar para casa. Neste horário está prevista a decolagem dos três aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), que irão repatriar os corpos dos mortos no acidente da última terça-feira. Um quarto voo comercial irá partir no mesmo horário, levando os seis jornalistas da Fox que perderam a vida no voo da LaMia.
O deslocamento dos corpos será feito por comboio até o aeroporto, no que promete ser um novo momento de forte emoção pelas ruas de Medellín. Antes de os caixões serem depositados no interior das aeronaves, deve haver uma cerimônia breve, organizada pelo governo colombiano para a despedida.


À medida que as equipes de médicos forenses foram liberando os corpos, seis funerárias da cidade passaram a se dedicar à preparação para os ritos fúnebres. Desde a tarde de quinta-feira, na funerária San Vicente, funcionários trabalhavam intensamente. Quando ZH esteve no local, às 18h, já estavam preparados os corpos de nove brasileiros, cinco bolivianos, um venezuelano e um paraguaio.

Os caixões dos brasileiros, todos jogadores da Chapecoense, estavam cobertos com uma bandeira branca com o distintivo do clube e a inscrição: “Campeões para sempre”. Os caixões não serão lacrados no translado até o Brasil.

A repatriação dos primeiros restos mortais liberados começou ainda na quinta-feira, com o deslocamento da primeira vitima, um cidadão paraguaio, de volta a seu país em um voo comercial da Avianca. Nesta sexta-feira, às 8h, estava prevista a repatriação de um cidadão venezuelano. Uma hora depois, uma aeronave da força aérea boliviana levará de volta quatro corpos e cinzas de cidadãos de seu pais.

Maior funerária do país, a San Vicente dispõe de 27 funcionários deslocados para os serviços de embalsamento, conservação e tanatopraxia. Em 2013, atuou no sepultamento do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, auxiliando com um carro o deslocamento dos restos mortais do presidente pelas ruas de Caracas.

Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

corpos