Dois anos da morte da Contadora Sandra

Em homenagem a contadora Sandra Mara Lovis Trentin que desapareceu no dia 30 de janeiro de 2018 em Palmeira das Missões, a comunidade, amigos e familiares organizam um terço no Cemitério Santo Antonio de Boa Vista das Missões seguida de caminhada até o banner colocado nas margens da BR- 386, na próxima sexta-feira, 31 a partir das 18 horas.


Um culto ecumênico, junto ao banner em homenagem a contadora deve reunir a comunidade e familiares em Boa Vista das Missões – Heloise Santi/Arquivo

De acordo com a filha de Sandra, Romana Trentin, uma celebração ecumênica está sendo organizada e deve acontecer as margens da rodovia, onde está o banner. “Queremos fazer uma homenagem para minha mãe, e as orações, das mais diversas correntes religiosas, são também em busca de justiça. Quem se sentir à vontade pode levar rosas e cartazes, como fizemos no ano passado”, disse.

Relembre o caso

Sandra, 48 anos, foi vista pela última vez em Palmeira das Missões, em 30 de janeiro de 2018. O veículo que ela usava foi encontrado horas depois estacionado em uma rua da cidade. Dentro do carro estavam o chip do celular e documentos.

Em fevereiro, Paulo Ivan Baptista Landfeld, então marido de Sandra, que era vereador na cidade de Boa Vista das Missões, foi apontado pela polícia como mandante da morte da mulher. Ele teria contratado Ismael para matá-la. Ambos chegaram a ser presos.

Após quatro meses, o marido teve pedido de liberdade acatado pela Justiça. As versões contraditórias nos depoimentos de testemunhas e do réu Ismael Bonetto contribuíram para a decisão do juiz.

Ao ser preso, em Santa Catarina, Bonetto havia confirmado o plano de Landfeldt e deu detalhes do caso, depois ele muda seu depoimento. Já a defesa do vereador nega participação no crime. Ambos se negaram a passar pelo detector de mentiras.

A denúncia narra que Ismael Bonetto e outros envolvidos, que não foram identificados pela Polícia, espreitaram Sandra desde Boa Vista das Missões e a abordaram na cidade de Palmeira das Missões. Após renderem a vítima, levaram-na para local ermo, onde, ela foi morta a tiros. Segundo o MP, o crime ocorreu entre 30 de janeiro e 17 de fevereiro de 2018.

Os denunciados respondem por homicídio triplamente qualificado. Segundo o MP, o marido queria o fim do casamento sem a necessidade de partilha do patrimônio do casal. Paulo teria pago R$ 40 mil a Ismael.

Prestes a completar um ano, do misterioso desaparecimento de Sandra, em 21 de janeiro de 2019, um cadáver foi encontrado em uma área de mato, próximo de uma lavoura de soja, na divisa entre Palmeira das Missões e Condor, a 40 quilômetros de onde Sandra desapareceu. Cerca de três meses depois, a perícia confirmou que os restos mortais encontrados eram da contadora. Sandra foi velada e sepultada no dia 13 de abril.

Em 7 de maio de 2019 o ex-marido, réu pela morte da esposa, Paulo Ivan Baptista Landfeld, foi preso novamente. A prisão foi solicitada pelo Ministério Público de Palmeira das Missões e foi acatada pelo judiciário para garantir a ordem pública pela gravidade do fato e repercussão na comunidade local, e pela conveniência da instrução criminal. Acrescentando que pessoas que criaram um movimento em prol da vítima relataram terem sido ameaçadas por Landfeld.

O caso corre em segredo de justiça e ainda não há datas para o julgamento dos réus que seguem presos.

Por Heloise Santi – Jornalismo Grupo Chiru