Estudantes palmeirenses estão com repasses atrasados a um ano e meio


Uma comissão que representa os estudantes universitários de Palmeira das Missões, que viajam diariamente para universidades da região utilizou um post na internet para publicar um desabafo protestando contra o atraso dos repasses que são garantidos em lei municipal.

Veja a apublicação na íntegra:

“Estudantes Universitários deixados de lado pelo Município!
REPASSES ATRASADOS HÁ MAIS DE 1 ANO E MEIO!!!!!
Como é sabido de boa parte da população, o município garantiu há, aproximadamente, 30 anos, mediante lei, um repasse que contribuiria com o transporte de alunos que buscam, em cidades vizinhas, formação de nível superior.

Os valores percentuais de repasse, durante todo esse período, sofreram alterações, e hoje é de 45% do cobrado pelas empresas a cada aluno.

O fato é que, há mais de 3 anos, esses valores são repassados de forma desordenada e, há mais de 1 ano e meio, grande parte dos alunos não recebe nada.

A ideia do repasse a alunos que se deslocam, diariamente, a cidades próximas e procuram qualificação superior, também é utilizada por inúmeras cidades da região, mas com perfeita ordem! Raramente, vemos colegas de aula, que vêm de outros municípios, fazerem uma queixa a respeito do programa da sua cidade.

O que podemos constatar é que Palmeira das Missões não dá importância aos alunos que buscam aperfeiçoamento para, posteriormente, serem aplicados aqui.

Sabemos, ainda, que, a cada dia que passa, esse valor, por óbvio, fica maior e, talvez, impagável! Se não foi feito um esforço para repassar uma pequena quantia, seria feito para para pagar um valor 18 vezes maior? Cremos que não!

Diversas reuniões já foram marcadas e continuam sendo marcadas, mas que nunca forma úteis para nada. Na verdade, apenas fica clara a tentativa do municípo em nos “enrolar”, demonstrar preocupação sem a intenção de resolver o problema.

Sem entrar no mérito, mas não é atoa que perdemos, em diversos aspectos, para municípios muito menores e com metade do tempo de existência do nosso.

Lembrando que os cursos procurados pelos alunos palmeirenses, nas cidades vizinhas, não sou ofertados no Campus da Universidade Federal de Santa Maria. Outros, que eram ofertados no campus da Unversidade de Passo Fundo, nesta cidade, foram encerrados por determinação do MEC, em virtude da baixa pontuação em sua avaliação.

Houvesse a mínima preocupação por parte do município, não se mediriam esforços para preservar os cursos que possuíamos e para manter em dia nosso repasse!

O candidato reeleito, Eduardo Russomano Freire, diversas vezes interrogado em período eleitoral, garantiu que daria atenção a esse problema. Por ser uma liderança jovem, próxima da nossa realidade, realmente acreditávamos em uma solução.

QUEREMOS NOSSO REPASSE!”Texto publicado no Grupo Protesta Palmeira no Facebook

Os estudantes reclamam ainda do descaso da Secretária da educação que avisou através de oficio que não estaria presente na reunião para tratar do assunto marcada para o último sábado e que não foi enviado nem um representante da secretaria para tratar do assunto.

Por Sidnei Farias Jornalismo RP