O retorno das aulas na rede pública estadual não tem data para acontecer.

A retomada das aulas na rede pública estadual não tem data para acontecer. No entanto, a Secretaria da Educação garantiu que os alunos não voltarão às escolas no dia 30 de abril. A data marca o fim do período de suspensão inicialmente estabelecido em decreto publicado no início do mês. A informação foi confirmada pelo titular da pasta, Faisal Karam, em videoconferência com deputados estaduais nesta quinta-feira (23).

Segundo o secretário, as atividades das escolas devem ser as últimas retomar no Rio Grande do Sul. “Iremos pegar o inverno pela frente, o distanciamento entre um aluno e outro, transporte escolar, higienização, alimentação e todos os problemas do dia a dia dentro de uma escola”, elencou as justificativas. “Então nós não retornamos no dia 30/04, isso é certo”, completou Karam.

Dúvidas sobre aulas e plano de carreira

Questões pedagógicas nas escolas e a implantação do novo plano de carreira dos professores também estão na pauta da reunião. Antes do início do encontro, a presidente da Comissão de Educação da Assembleia, Sofia Cavedon, demonstrou preocupação com os assuntos. “Quais as condições que nossos estudantes estão tendo, se foi providenciado um apoio tecnológico, abertura de Wi-fi, suporte para professores”, destacou. “De outro lado, o governo está aplicando neste mês o novo plano de carreira; os novos salários; o difícil acesso, que é uma gratificação que é importante”, completou a deputada.

A reunião da Assembleia Legislativa com o secretário da Educação foi a primeira de deputados estaduais com membros do gabinete de Eduardo Leite. Ainda nesta quinta, os parlamentares vão debater as ações sociais do governo do Estado com a secretária de Trabalho e Assistência Social, Regina Becker. Na sexta-feira (24), será a vez da Comissão de Saúde do Legislativo realizar reunião com a presença virtual da secretária da Saúde, Arita Bergmann. A titular da pasta irá falar da aplicação de R$ 52 milhões em emendas parlamentares na contratação de leitos privados de UTI e na compra de equipamentos de proteção individual e respiradores.

Fonte: Rádio Guaíba