Polícia Civil amplia possibilidade de registros pela Delegacia Online para evitar deslocamentos de pessoas

Ferramenta ganhou opção para registro de ocorrência policial de “outros fatos criminais em geral”

DOL card
Finalizado e enviado registro, é necessário aguardar a validação por parte da Polícia Civil – Foto: Reprodução

O registro de uma ocorrência policial para “outros fatos criminais em geral” é a nova ferramenta disponibilizada pela Delegacia Online da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. A fim de prevenir o crescimento de casos do coronavírus, evitando a circulação e o contato de pessoas, a instituição passa a registrar nos plantões de suas delegacias apenas casos que demandem a intervenção policial imediata, como homicídio, latrocínio, estupro, roubo, recuperação e devolução de veículos e violência doméstica.

Além da nova ferramenta, desenvolvida pela Companhia de Processamento de Dados do Estado (Procergs), 29 fatos criminais específicos que já existiam na página e permanecem disponíveis para registro.

Conforme a chefe de Polícia Civil, delegada Nadine Anflor, a medida é de extrema importância, uma vez que a instituição se alia aos órgãos de saúde e autoridades dos setores competentes na luta contra a proliferação do coronavírus.

“É preciso conscientizar a população de que o trabalho da Polícia Civil não parará, mas que alguns serviços podem, sim, ser eficientes e atenciosos, mesmo quando não feitos em guichês de delegacias. Neste momento, a intenção é diminuir o fluxo de pessoas nas ruas, e, para isso, a DOL é um dos instrumentos mais eficazes oferecidos pela Polícia”, afirma a delegada.

Como registrar:

1. Acesse o site da Delegacia Online, por meio de um computador, tablet ou smartphone.

2. Tenha em mãos documento de identidade ou CPF. Também é necessário endereço de e-mail válido.

3. Para outros fatos, preencha o formulário disponível na página. É nele que o cidadão irá narrar os fatos e contar, na sua versão, o que aconteceu. Se o crime consta em uma das 29 opções específicas do site, o cidadão deve clicar no fato e seguir as instruções.

4. A partir do início do registro já será gerado um número de protocolo com 15 dígitos, possibilitando a continuidade do preenchimento em outro momento, sendo gerado, portanto, um rascunho antes da finalização. Esse protocolo será enviado por e-mail ou mensagem de celular (o SMS é gerado apenas para quem tem Login Cidadão RS).

5. Finalizado e enviado registro, é necessário aguardar a validação por parte da Polícia Civil para que o registro tenha validade.

6. Para acessar a ocorrência, basta consultar o protocolo no site da DOL. A partir daí, é possível visualizar a ocorrência por meio de arquivo pdf. O documento tem a mesma validade do que seria entregue na Delegacia de Polícia.

Atendimento nas delegacias

Os cidadãos que necessitarem de atendimento presencial não ficarão desassistidos. Todos serão orientados à higienização com álcool em gel, que será fornecido pelo órgão, tão logo cheguem a uma delegacia. Em locais onde não houver barreira de vidro que separe o servidor, deverá ser adotada uma distância mínima 1,5 metro para atendimento.

O alerta, no entanto, é para atendimento de quem apresentar sintoma respiratório (gripe, espirro, coriza, secreção nasal etc.), que ficará condicionado à proteção da saúde do servidor policial. Os responsáveis pelas delegacias também estão orientados a evitar a entrada simultânea ou a aglomeração de pessoas, principalmente nos plantões.

Texto: Ascom Polícia Civil
Edição: Secom