Presidente da Amzop participa de encontro regional em Palmeira das Missões

Nesta segunda-feira,17, na sede do Sindicato Rural de Palmeira das Missões ocorreu  uma reunião para discutir o Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA). O encontrou visou ainda compartilhar  responsabilidades e fortalecer parcerias dos agentes envolvidos, bem como debater condições sustentáveis de garantia do status livre de febre aftosa sem vacinação no Rio Grande do Sul.

Amzop

O presidente da Associação dos Municípios da Zona da produção (Amzop), prefeito de Constantina, Gerri Sawaris estava presente neste encontro liderado pela Coordenação regional da Agricultura. Também estavam presentes, Hamilton Jardim – Presidente do Sindicato Rural. Também presentes, Rodrigo Chagas de Bairros – Coordenador Regional da Agricultura, Erli Teixeira – Chefe de Gabinete do Secretário da Agricultura Covatti Filho, Lúcio Borges – Vice Prefeito de Palmeira das Missões e Luciano Schwartz – Gerente Regional da Emater com sede em Frederico Westphalen.

O presidente da Amzop destacou a importância do encontro, parte da estratégia estadual para que o estado seja declarada, pelo Ministério da Agricultura, como livre de aftosa sem vacinação.  Ele lembra que isso garante que os pecuaristas busquem a mesma certificação junto à Organização Mundial de Saúde.

Estado

O governo estadual está promovendo seminários no interior para orientar os produtores sobre novos prazos e procedimentos. 

Ainda não foi definido o dia em que se iniciam as vacinações. Os produtores gaúchos vão antecipar a imunização de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa. 

O Rio Grande do Sul vai antecipar a vacinação do rebanho bovino e bubalino contra a febre aftosa. O aval foi dado pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, durante reunião com o governador Eduardo Leite, o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, e parlamentares federais e estaduais, além de representantes do setor produtivo rural, no dia 12 deste mês, em Brasília. A antecipação faz parte da estratégia do Estado para ser declarado pelo Mapa como livre de aftosa sem vacinação, a fim de obter, num segundo momento, o reconhecimento internacional dessa condição pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Conforme o secretário Covatti Filho, a vacinação do rebanho será feita na primeira quinzena de março – em outros anos ocorria em etapas em maio e novembro. “Nós também estamos fazendo uma série de seminários regionais em todo o Estado para expor aos nossos produtores e entidades os resultados da auditoria que o Ministério da Agricultura fez na nossa defesa agropecuária. Em conjunto com todas as entidades da nossa agropecuária, nós vamos tomar a decisão se queremos ou não mudar o status sanitário do nosso Estado”, afirmou o secretário.

Conforme Covatti Filho, a definição do dia para o início da campanha contra aftosa no Estado só depende agora da disponibilidade dos laboratórios que produzem a vacina.

Durante a reunião, o governador também pediu apoio da ministra aos produtores atingidos pela seca ocorrida no RS no final de 2019. Na audiência, Tereza Cristina recebeu a pauta de reivindicação do setor produtivo e dos municípios para atenuar os prejuízos provocados pela estiagem.

AMZOP

IMPRENSA