Presidente do TRF4 prevê que caso de Lula seja julgado antes da eleição de 2018

O desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no qual será julgada em segunda instância a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, falou ao programa Gaúcha Repórter, na tarde desta quinta-feira (13), e deu a estimativa de que o processo terá duração média de 10 meses para apuração. 

Ele prevê que o caso seja julgado até agosto de 2018, antes do período para registro de candidaturas à Presidência, que tem prazo até 18 de agosto do ano que vem. O processo deve chegar no próximo mês ao TRF4, que tem sede em Porto Alegre.

 São aguardados os recursos dos réus e do Ministério Público Federal. O MPF vai pedir mais tempo de condenação do ex-presidente, estabelecida pelo juiz federal Sergio Moro em 9 anos e seis meses de prisão. 

Depois da fase de apresentação, os recursos vão para o relator elaborar o voto, que será encaminhado para o revisor. Quando este tem o voto pronto, é solicitado o dia do julgamento. O desembargador também disse que considera a média de dez meses de análise “razoável”.

– [O processo] chega aqui, o relator abre vista para recurso, o Ministério Público é ouvido. Nesses processos da Lava Jato, cada réu tem recurso próprio, e eles têm uma média de trezentas páginas, e o relator precisa examinar. Tudo isso demanda tempo, então, diante de toda essa complexidade, 10 meses é bem razoável – afirmou, salientando que não existe priorização do caso. 

O Tribunal já examinou 701 processos referentes à Operação Lava-Jato em mais de três anos.

Fonte Rádio Gaucha