Quem era o alvo da operação que resultou na morte de inspetor no Vale do Caí

Polícia Civil divulgou, no início da noite desta quarta-feira (2), a foto de um dos suspeitos de envolvimento na morte do inspetor Leandro de Oliveira Lopes, 30 anos. O foragido Valmir Ramos, de 41 anos, conhecido como “Bilinha”, tem contra si três mandados de prisão em aberto. Ele era o alvo da operação realizada pela manhã em Pareci Novo, no Vale do Caí, que resultou na morte do policial.

Um dos mandados foi expedido em 1º de fevereiro de 2017, por tráfico de drogas. Ramos foi preso no fim de 2016 com 331 quilos de maconha durante abordagem, na BR-116, em frente ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os policiais realizavam operação de combate à embriaguez ao volante quando acabaram encontrando a droga dentro do veículo Tucson, com chassi adulterado, dirigido por ele. Ramos foi preso, mas acabou fugindo da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de São Leopoldo, onde aguardava transferência para o sistema prisional.

O outro mandado, expedido em 4 de setembro do ano passado, é para cumprimento de pena de sete anos de prisão e foi expedido pela 1° Vara de Execuções Criminais da Comarca de Canoas. GaúchaZH tenta mais detalhes sobre essa condenação. Os dois constam no Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP).

Segundo o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Fábio Motta Lopes, o terceiro, que motivou a operação, não consta no BNMP porque foi mantido em sigilo até a realização da diligência. Ainda de acordo com o delegado, sem dar detalhes, é uma investigação sobre uso de armamento.

O inspetor Leandro de Oliveira Lopes foi morto nesta quarta-feira (2), em Pareci Novo quando cumpria o mandado de prisão contra Valmir Ramos. A polícia ainda não sabe se o disparo partiu do foragido ou de outra pessoa que estava com os criminosos. As buscas seguem na região.

Informações/Eduardo Matos/Gaúcha ZH