RGE encontra 60 ligações irregulares em Palmeira das Missões

Durante o ano de 2019, as equipes de fiscalização da RGE realizaram 693 inspeções para combater fraudes e furtos de energia no município de Palmeira das Missões. Nestas operações foram detectadas 60 ligações irregulares, correspondendo a 8,6% do total. A energia recuperada, somente em Palmeira das Missões, chega a 147,39 MWh, o suficiente para abastecer 81 residências por um ano, levando em consideração um consumo médio de 150 kWh ao mês para cada residência.

O combate às fraudes nas ligações de energia é contínuo nas distribuidoras do Grupo CPFL, incluindo a RGE. Em toda área de concessão da empresa foram detectadas 23,3 mi ligações irregulares em operações realizadas durante o ano de 2019 a partir de 133 mil mil inspeções realizadas. A energia recuperada nestas ações chega a 53.337,09 MWh, o suficiente para abastecer 29 mil residências por um ano – o equivalente a cidades como Esteio, Alegrete e Farroupilha.

As inspeções são realizadas a fim de evitar problemas na rede de distribuição de energia e garantir a segurança da população. A prática mais comum entre as irregularidades encontradas é a ligação direta na rede para o furto de energia, prática conhecida como “gato”. Em muitos locais, as equipes também identificam fraudes nos medidores. Com isso, apenas parte da energia consumida passa pelo leitor e a conta de luz não corresponderá ao que realmente foi consumido.

As fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção. Em 2019, 70 pessoas foram presas em flagrante em operações realizadas pela RGE em parceria com a Delegacia de Repressão aos Crimes contra o Patrimônio e Serviços Delegados, da Polícia Civil, e a Brigada Militar.

Segundo o gerente de Serviços de Recuperação de Energia da RGE, Danillo Ferreira Lelis, uma vez identificada uma fraude de energia, a distribuidora também cobra os valores retroativos referentes ao período em que ocorreu o furto. “As inspeções e as cobranças realizadas são uma questão de segurança e de justiça. Segurança porque uma ligação irregular de energia pode colocar todo o sistema de distribuição em risco e traz insegurança à população. Justiça porque os clientes regulares acabam pagando parte da conta dessa energia consumida irregularmente”, destaca Lelis.

Realizar as inspeções para combater as fraudes e furtos de energia e desligar as ligações clandestinas é uma questão de segurança. Isso ajuda a evitar curtos-circuitos que afetam a rede e que, em muitos casos, provocam o desligamento e a queima de equipamentos e eletrodomésticos de ruas inteiras, além do risco de incêndio de imóveis destas localidades.

As ligações irregulares também são responsáveis pela sobrecarga da rede de energia elétrica que deixa o sistema de distribuição mais suscetível à interrupção. A regularização destes clientes não apenas traz cidadania para essa parcela da população, como também beneficia todos os consumidores com um serviço de melhor qualidade.

Para evitar que acidentes envolvendo a rede elétrica ocorram, o Grupo CPFL desenvolve campanhas permanentes de alerta e orientações. Desde o começo de 2019 está em andamento a campanha “Guardião da Vida”, voltada aos 2,9 milhões de clientes nos 381 municípios da área de concessão da RGE, incluindo os trabalhadores da construção civil.

O objetivo é conscientizar a população para os perigos que o mau uso da energia elétrica pode representar e a importância de se tomar todos os cuidados, reforçando os cuidados com a saúde e a segurança no trabalho. Quem quiser saber mais pode acessar www.guardiaodavida.com.br, onde é possível ver dicas e orientações para o dia a dia do ambiente profissional e doméstico.

Denúncias de furtos de energia podem ser feitas no seguinte endereço:
http://bit.ly/FurtoRGE

Fonte: Assessoria de Imprensa RGE