SERVIÇO MILITAR: Mais de 1,5 milhão de jovens já fizeram alistamento

O prazo para o alistamento militar de 2017 termina no próximo dia 30 de junho. De acordo com a Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa, cerca de 1 milhão e quinhentos mil jovens brasileiros já iniciaram o processo e a expectativa é que mais 300 mil rapazes se alistem até a data limite. Caso o  jovem perca o prazo, ele é considerado em débito com o Serviço Militar e isso causa restrições para obter ou prorrogar validade de passaporte; assumir cargo público; prestar exame ou matricular-se em qualquer estabelecimento de ensino; obter carteira profissional ou registro de diploma de profissões liberais; e inscrever-se em concurso público. Lembrando que, mesmo depois do prazo, o jovem poderá realizar o alistamento militar, mediante o pagamento de multa, a fim de regularizar sua situação militar.
 
O serviço militar inicia-se com uma formação militar básica. É o que explica o coordenador do Serviço Militar no Ministério da Defesa, coronel André Buarque Ribeiro dos Anjos.
O período básico é aquele período em que a Força vai dar aquela instrução militar comum a todo militar que entra nas Forças Armadas, para que ele possa utilizar o armamento, de como proceder em relação às honras militares, conhecer os regulamentos, e aquela formação apenas para o indivíduo.”
Segundo o coordenador do Serviço Militar, em seguida, vem a qualificação militar.
  André Buarque Ribeiro dos Anjos, coordenador do Serviço Militar no Ministério da Defesa. 
 
“Neste período de qualificação é o período em que o militar estará já com uma formação básica anterior, sendo qualificado para ocupar um cargo. Por exemplo, uma função de motorista, de enfermeiro, auxiliar de mecânico, de atirador, funções específicas dentro da própria Marinha, em uma embarcação, ou dentro de um centro da Aeronáutica, com atividades específicas.”
  E por último, vem o período de adestramento, que é onde ele desempenhará o cargo para qual foi qualificado. Lembrando que após este período, obrigatório, de um ano, o militar pode permanecer, de forma voluntária, por até 7 anos, engajado, conforme a disponibilidade de vagas.
 
Reportagem, Cintia Moreira