Sistema de biometria provoca atrasos na votação em seções eleitorais do Rio Grande do Sul

Os eleitores de parte das seções eleitorais do Rio Grande do Sul enfrentaram filas para votar neste domingo (7), no primeiro turno das Eleições 2018. A demora ocorreu em função da identificação biométrica utilizada em algumas urnas.

Em Palmeira das Missões foram registradas filas na escola estadual Três Mártires, onde os eleitores chegaram a permanecer mais de uma hora na fila:

Em Porto Alegre, na Escola William Richard Schisler, no bairro Menino Deus, houve filas na maioria das seções. O tempo médio de espera foi de 30 minutos.

Em Pelotas, na Região Sul do estado, também foram registradas muitas filas. Os eleitores idosos tiveram dificuldades com o reconhecimento da digital, e algumas pessoas chegaram a aguardar uma hora para votar. Depois das 17h, horário de encerramento da votação, os fiscais de duas seções na Escola Municipal Getúlio Vargas, também em Pelotas, distribuíram senhas para as pessoas que continuavam na fila para votar.

Segundo o secretário de Tecnologia da Informação do TRE-RS, Daniel Wobeto, a demora na identificação biométrica em urnas é normal.

“É um procedimento que torna um pouco mais lenta a identificação do eleitor e tende a gerar filas. Essa é uma evolução natural do nosso cadastro, é só questão do volume de eleitores a serem identificados biometricamente e, em Porto Alegre, o fato de ser uma primeira experiência com a identificação biométrica”, afirma Wobeto.

Por Sidnei Farias