Trabalhadores dos Correios decidem por greve em pelo menos 6 estados

Os trabalhadores dos Correios decidiram em uma assembleia na noite de quarta-feira (14) entrar em greve a partir desta quinta (15), segundo a Fentec, federação que representa a categoria. A paralisação, que atinge ao menos seis estados, é por tempo indeterminado, caso as negociações não avancem.

Segundo os Correios, das bases sindicais que rejeitaram a proposta estão nos estados do Ceará, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe. A empresa informou por nota que fez um plano de ação com horas extras e mutirões, nessas localidades, “para garantir a manutenção da prestação dos serviços”.

Ainda segundo a empresa, 25 dos 36 sindicatos dos trabalhadores aprovaram a proposta de reajuste. 98,6% do efetivo da empresa, ou 114.667 empregados, não aderiram à paralisação, número apurado por meio de sistema eletrônico de presença.

A empresa informou, por nota, que as agências estão abertas e os serviços como entrega de Sedex e o Banco Postal estão disponíveis.

Onde a proposta não foi aceita

Ceará
Funcionários dos Correios no Ceará decidiram em assembleia entrar em greve por um período de 24 horas, até a noite desta quinta-feira (15). Conforme o sindicato da categoria, as reivindicações da categoria não foram atendidas.

Minas Gerais
Funcionários dos Correios em Governador Valadares (MG) aderiram à greve nacional da categoria na manhã desta quinta-feira (15). O representante dos grevistas, Demétrio Sales Camargos, disse que os funcionários não querem a privatização dos Correios, pois temem que o processo possa gerar demissões e transferências de funcionários.

Em Montes Claros, no Norte de Minas, cerca de 50% dos trabalhadores dos Correios aderiram à paralisação, após assembleia realizada pelo sindicato da categoria.

Trabalhadores dos Correios em Minas Gerais aderiram nesta quinta-feira à greve nacional, segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Sintect-MG). A paralisação é por tempo indeterminado. Um ato foi realizado em Belo Horizonte durante a manhã.

A entidade, que representa 657 municípios no estado, ainda não informa o número de funcionários parados. Segundo os Correios em Minas, nesta manhã, a adesão era de 5% dos 12.743 trabalhadores no estado.

Rio Grande do Sul
Os trabalhadores dos Correios do Rio Grande do Sul também decidiram entrar em greve a partir desta quinta-feira (15) após assembleia realizada na noite de quarta-feira (14), quando rejeitaram a proposta apresentada pela empresa.

Santa Catarina
Os trabalhadores dos Correios em Santa Catarina também decidiram em uma assembleia na noite de quarta-feira, em São José, na Grande Florianópolis, entrar em greve. Conforme o diretor de política sindical Giovani Zoboli, os representantes da entidade irão para as agências para mobilizar outros trabalhadores.

Conforme o Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares de Santa Catarina (Sintect-SC), o estado tem quatro mil trabalhadores dos Correios, mas a maior adesão deve ser dos carteiros, portanto, se for mantida a greve, as correspondências devem começar a atrasar.

Sergipe
Os trabalhadores dos Correios de Sergipe decidiram durante uma assembleia realizada na noite de quarta-feira (14) em Aracaju, entrar em greve por tempo indeterminado.

Segundo ele, os serviços estão parcialmente suspensos. “Estamos mantendo 30% dos serviços de cada setor”.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, o estado possui cerca de 950 trabalhadores dos Correios, mas ainda não é possível saber quantos estão paralisados.
“Estamos lutando para manter os nossos postos de trabalho e o plano de saúde. E queremos um aumento salarial acima da inflação”, finalizou.

Ceará
Segundo os Correios, o estado também aderiu à paralização nesta quinta-feira (15).

Piauí
O estado está entre os que rejeitaram a proposta de reajuste dos Correios e aderiram à paralisação.

Fonte G1