OMS declara pandemia do novo coronavírus

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia do novo coronavírus nesta quarta-feira. O Brasil tem 52 casos confirmados da doença, dois deles no Rio Grande do Sul – um deles em Porto Alegre e outro em Campo Bom. “Estamos profundamente preocupados com os alarmantes níveis de disseminação e severidade, e de falta de ação”, disse o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa em Genebra, na Suíça.

Ao redor do mundo, o novo coronavírus já foi registrado em 114 países. O número de infectados chega a 118,3 mil, com 4.292 mortes (taxa de letalidade de 3,62%). A China continua a ser o país com maior número de casos: 81 mil, embora mais de 61 mil pacientes já tenham sido curados da doença. Na Itália, 10,1 mil pessoas foram confirmadas com o novo coronavírus. É o segundo país do mundo com maior número de casos.

O diretor-geral da OMS acrescentou que apenas analisar “o número de casos de Covid-19 e o número de países afetados não conta toda a história”. “Milhares estão lutando por suas vidas nos hospitais”. 

O chefe da OMS estimou que, “nos próximos dias e semanas”, o número de casos, mortes e países afetados aumentará. A organização voltou a pedir aos países, porém, que atuem para “conter” a epidemia. “Devemos ser mais agressivos”, insistiu Tedros Adhanom Ghebreyesus, enfatizando que essa “pandemia” pode “ser controlada”.

“O Irã e a Itália estão na linha de frente, estão sofrendo”, disse o diretor-executivo do Programa de Emergência da OMS, Michael Ryan, assegurando que outros países enfrentariam a mesma situação. “No momento, no Irã, há escassez de aparelhos respiratórios, de oxigênio”, completou ele. O diretor-geral da OMS afirmou que “o Irã está fazendo seu melhor”. “Eles precisam de muito equipamento. Estamos tentando mobilizar mais apoio ao Irã”, frisou.

A OMS ressalta que o mundo nunca viveu uma pandemia provocada por um coronavírus. Uma pandemia é quando a doença já causa surtos da doença de maneira global. Ghebreyesus ponderou que “81 países não reportaram qualquer caso de Covid-19, e 57 países reportaram dez casos ou menos”. “Todos os países ainda podem mudar o curso dessa pandemia”, afirmou.

Fonte Correio do Povo